Pesquisar este blog

sábado, 31 de dezembro de 2011

Meme Retrospectiva Literária 2011



Mais um Meme! Dessa vez do blog Pensamento Tangencial! - gente, estou seguindo uns blogs muito legais, mas estou começando a me sentir mal porque eles lêem muito, mas muito mais do que eu!!!!

Mas deixando esse pensamento de lado, vamos à Retrospectiva no formato sugerido pela Angélica:

  • O livro infanto-juvenil que mais gostei: esse é fácil, Haroun e o mar de histórias do Salman Rushdie

  • A aventura que me tirou o fôlego: os livros da Sookie Stackhouse (algo me diz que eles vão aparecer mais algumas vezes por aqui) da Charlaine Harris

  • O terror que me deixou sem dormir: livros da Sookie Stackhouse... eu lia muito antes de dormir, o que me deixava agitada, logo, com dificuldade de pegar no sono... apesar dos livros não serem exatamente de terror... mas o efeito foi o mesmo.

  • O suspense mais eletrizante: Hell, da Lolita Pille, não é um suspense, mas foi de longe o livro mais eletrizante que eu li (só pra não voltar à Charlaine Harris, porque seria chato)

  • O romance que me fez suspirar: Ma liberté de danser, da Dina, apesar de ser autobiografia, a vida dela é um romance... e eu suspirei (as meninas que forma na minha palestra sobre o livro também...).
 
  • A saga que me conquistou: A Trilogia do Cairo, do Naguib Mahfouz.

  • O clássico que me marcou: A Trilogia do Cairo, do Naguib Mahfouz. Nada mais será como antes na minha relação com o Egito, com a literatura e com a obra do autor.

  • O livro que me fez refletir: Ma Liberté de danser, da Dina, me fez pensar muito sobre a questão da mulher nos dias atuais e no Oriente Médio.

  • O livro que me fez rir: Ex-Libris, confissões de uma leitora comum, da Anne Fadiman, ri até chorar, e paguei mico chorando de tanto rir no metrô. Sério.

  • O livro que me fez chorar: nunca choro lendo livros ou vendo filmes. Só se for de rir. Aí é só ver o tópico acima.

  • O melhor livro de fantasia: A touch of Dead, da Charlaine Harris, amei os contos.

  • O livro que me decepcionou: Cidade da Penumbra, da Lolita Pille. Depois de Hell, não acreditei que ela pudesse ter feito o que fez. Pior livro do ano.

  • O livro que me surpreendeu: Ma liberté de danser, da Dina, porque, bem, eu não esperava um livro tão poético, tão cheio de amargura, e tão bem escrito, assim como não esperava um livro sem uma fotografia sequer.

  • O(a) personagem do ano: Ahmed, da Trilogia do Cairo. Senti amor e ódio por ele.

  • O casal perfeito: Dina e Sameh
 
  • O(a) autor(a) revelação: Charlaine Harris

  • O melhor livro nacional: não li nada nacional esse ano, shame on me

  • O melhor livro que li em 2011: Trilogia do Cairo, porque não dá para escolher um só dessa saga

  • Li em 2011: 30 livros

  • A minha meta literária para 2012 é: conseguir seguir os livros do desafio literário e chegar aos 30 livros por ano!

Como ser legal


SPOILER FREE

Gente, nem eu acredito! Apesar de todas as confusões, tanto as previstas quanto as imprevistas, eu consegui chegar na minha meta normal de 30 livros!! Graças a Charlaine Harris e Nick Hornby! Tudo bem que a contribuição do Nick não foi tudo o que eu esperava... e é a segunda vez que um livro dele me deixa assim. Acho que a mania dele por situações limite, onde as personagens dele se recusam a tomar alguma decisão mais controversa, atrapalha muito. Ora, se é para ser situação limite e esdrúxola, que se tenha personagens à altura, não é?

Fora isso o livro até que é legal, pois te leva a pensar nos seus próprios limites com relação à caridade e a nossa situação burguesa na sociedade. Pena que não chega a lugar nenhum com isso. Mas vale pela reflexão. Se você chegar no final do livro sem querer matar nenhum personagem, terá sido uma vitória (eu quis matá-los diversas vezes... aquela vontade de rasgar as páginas, xingar e tacar fogo no livro? Pois é.), e isso significa que você é uma pessoa melhor do que eu rsrsrsrs

Nota 8, justa.

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

A touch of dead


SPOILER FREE

Ufa! Finalmente cheguei no livro de contos! E, gente, que alívio!!!! Depois de ler 11 livros em sequência eu realmente precisava ler esses contos... até porque a Charlaine Harris aproveita para falar de personagens e fatos que escapam à história principal dos livros, e eu precisava disso.

Os contos são todos ótimos e trazem mais profundidade ao universo da Sookie, e acho que vale a pena falar de cada um, então se segura aí (não se preocupe que os contos são curtos, então falarei pouco de cada um):

1- Fairy Dust

Esse conto eu realmente deveria ter lido antes... ele te prepara bem para saber como realmente são as fadas, afinal, todos têm uma visão pré-concebida do que/como são fadas. Fez falta. Mas serviu como nostalgia também, o que foi legal. O mistério do conto nem é tão tcham tcham tcham, depois de um ponto na história fica meio óbvio, mas ainda assim é divertido. Adorei o final. Sério.

2- Dracula Night

Se Sookie fosse uma série de TV (ok, ok, ok, ainda não vi True Blood e não tenho ideia de como é a série nem as mudanças feitas na adaptação, então deixem-me continuar o raciocínio) esse seria o episódio especial de Halloween, estilo Buffy. Achei o final meio sem graça, mas toda a ideia por traz do episódio, quer dizer, conto, é muito divertida. Chorei de rir.

3- One word answer

Outro conto que deveria ser lido na ordem certa dos livros, faz falta também. Isso me deixou meio chateada, quem só compra os livros dela nas livrarias, sem seguir as revistas ou outros livros onde ela publicou esses contos fica como? Ela deveria ter feito contos sem ter tanta informação importante para a história principal, porque quando eu li esse conto eu tive que rever alguns dos meus conceitos sobre os acontecimentos dos livros, meio chato isso. O conto é legal, mas fiquei chateada.

4- Lucky

É desse tipo de conto que estou falando! Nada a ver com a história principal, ilustra bem a convivência da Sookie com a Amelia, é divertido, tem seus momentos de tensão e cumpre o seu objetivo de entretenimento. Podiam ser todos assim! Seria perfeito.

5- Gift wrap

Meu conto FAVORITO. Sério, amei! Além de ser da categoria "não faz falta na leitura da história principal", é divertido, surpreende diversas vezes e dá profundidade à Sookie. Podia ser melhor? Pois bem, ele consegue :-) espero realmente que tenha um episódio especial de Natal com esse conto. Se tiver quero ver ontem!

Nota 9 no conjunto, influenciado pelo último conto, é claro!

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Meme - Minha Meta Literária 2012

O blog O Fantástico Mundo da Leitura lançou mais um meme legal para participar! E óbvio que eu não podia ficar de fora, até porque tenho altos planos para 2012! Afinal, em 2011 estou quase chegando na minha meta normal de leitura anual, apesar de ter reduzido a minha meta por força de casamento/obra/mudança....


Vamos lá?

-Minha booklist de 2012

Nunca fiz uma booklist, mas como esse ano quero participar do Desafio Literário é até bom, né? Então, vamos ver, 2012 começa com 4 livros de literatura gastronômica: 2 livros de títulos que não sei de cabeça, um sobre cultura turca (presente da amiga e sogra), um sobre homens e chocolate, e os famosos "comer, rezar e amar" e "como água para chocolate"...

Fevereiro é nomes próprios... a ideia é ler Peter Pan e Musashi (que são 3 volumes então já acabou comigo).

Março é serial killer, eu comprei "criança 44" e vou pegar alguns emprestados com uma amiga que adora o estilo.

Abril é escritor oriental: vou ler o que tiver disponível de Salman Rushdie, começando certamente por "Luka e o fogo da vida", que é continuação do adorável "Raroun e o mar de histórias"

Maio é romance histórico, aí coloco em dia minha leitura de Bernard Cornwell! Dependendo da vontade pode ser Christian Jacq também...

Junho o tema é viagem no tempo, então comprei "A mulher do viajante no tempo" e "Em algum lugar do passado", não achei mais nada nesse tema :-(

Julho é prêmio Jabuti, e como não costumo ler nada de literatura nacional, sei que será problemático, mas tenho em algum lugar em casa "a hora da estrela" e vou pegar emprestado "o grande mentecapto".

Agosto é terror... fácil de arrumar: "A múmia" da Anne Rice e "O iluminado"!!!

Setembro é mitologia universal, então a princípio quero ler Homero, mas tenho como alternativas "Deuses americanos" do Neil Gaiman, contos de fadas celtas e um livrinho que encontrei perdido na minha biblioteca com mais um mito celta.

Outubro é hora de ler Graphic Novels, então pretendo ler Palestina e o que mais o maridão tiver em casa.

Novembro é escritor africano... vou atacar o que eu tenho no Naguib Mahfouz e ainda não li :-)

Dezembro o tema é poesia, então vou ler hinos homéricos e que mais der na telha na época, pois tenho um bocado de livros de poesia que ainda não li... inclusive uns da sogra que prometem demais!

-Primeira leitura do ano

Ainda não decidi qual, mas sairá da lista de livros gastronômicos.

-Lançamento nacional do ano

Eu comentei que não costumo ler literatura nacional? Pois é, vergonhoso, mas não tenho a menor ideia do que será lançado esse ano e que promete alguma coisa.

-Lançamento internacional do ano

Ah... sobre isso eu tenho o que falar rsrsrsrs em 2012 sai o 12° livro da série da Sookie Stackhouse da Charlaine Harris e a continuação de "A descoberta das bruxas". Isso que eu saiba de cabeça... certamente tem mais coisa e coisa mais legal.

-Continuação da saga mais esperada

Apesar de lançar a continuação da Sookie, preciso comentar que sai em português a continuação de uma saga do Christian Jacq que ainda não comecei a ler, mas já comecei a comprar! rsrsrsrs

-Final de saga mais esperada

Sabe a tal saga do Christian Jacq? Pois é, se eu não me engano ela termina, que tal? rsrsrsrs

-A quem eu indico esse meme (10 blogs)

Ah... todos que quiserem participar são bem vindos, né? :-)

Dead reckoning

SPOILER FREE


Agora sim! Parece até que a autora resolveu se mexer e preparar o terreno para uma mudança importante na série! Estava na hora, né?

Tudo bem que ainda não acontece nenhuma GRANDE mudança, mas coisas importantes surgem e começam a alterar a vida da Sookie, e ela até mesmo começa a questionar alguns dos seus comportamentos que ela devia ter questionado há, sei lá, uns 3 livros? Agora eu tenho esperanças na série, pode ser que realmente melhore no próximo volume. Pena que ele só vai ser lançado em maio do ano que vem... bom, pelo menos o próximo ano está a apenas 2 dias de distância! Fora que estarei ocupada com o Desafio Literário, então acho que vou conseguir esperar até 2013 para ler a continuação da história dessa garçonete.

Agora, estou torcendo para que a Charlaine Harris não caia na tentação de mudar tudo só pra voltar à estaca zero! (ok, isso soou irônico para um livro sobre vampiros, não era a intenção, mas ficou bom) Sério, não quero ler o primeiro livro novamente.

Nota 8,5, por conta das sementes plantadas! Vamos ver se elas dão frutos...

Agora um comentário rápido. Esse fim de ano ficou apertado... estou lendo os livros da Charlaine Harris tão rápido que no início eu resolvi usá-los como posts futuros, pra garantir que o blog teria material sempre, mas estou devorando-os tão rápido que agora eles ficaram espremidos no final do ano! E não quero deixá-los para o ano que vem porque eles, obviamente, estão contando para a meta desse ano. Enfim, me enrolei rsrsrsrs e agora tenho posts diários até primeiro de janeiro!


Pelo menos foi por um bom motivo!

quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Dead in the family

SPOILER FREE


Ok... estou definitivamente ficando de saco cheio. Tudo bem que tem uma desculpa "super-válida" para a mudança da personagem principal, mas não consegui engolir direito. Sinto muito. E apesar dos fatos serem sempre diferentes a série está caindo na mesmice. Nada realmente muda, sabe? Os dilemas são os mesmos... os personagens dos dilemas são os mesmos... eu simplesmente acho que a Sookie já devia ter mudado de etapa na vida dela. Em todos os sentidos. E a Charlaine Harris deixou o bonde passar... várias vezes ela criou situações que permitiam boas mudanças na série e depois desfez tudo e as coisas ficaram como eram antes. Até quando, meu deus?

Fora isso, os mistérios são legais, me surpreenderam no final, mas ainda assim tiveram alguns clichés desnecessários. Por que a mania com personagens históricos? Um só não basta? E precisava ser AQUELE? O que está acontecendo com os "homens" em volta da Sookie, é uma estratégia da autora para não mudar o status quo? Estou ficando irritada.

Mas, ainda tenho mais um livro da série para ler (fora o de contos), quem sabe as coisas melhoram?

Nota 8, porque a esperança é a última que morre mas paciência tem limite.

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Dead and gone


SPOILER FREE

Depois que você engole alguns fatos/ações que não fazem sentido no livro anterior, até que esse volume faz sentido. Ainda tem alguns momentos em que você fica se perguntado "mas, hein?", mas a maior parte desses momentos combinam com o que você já engoliu antes, então a culpa não é exatamente desse livro. Apesar de que tá começando a ficar cansativo. Aquela sensação de forçação de barra continua... sei lá, até que ponto ela vai torturar a pobre Sookie? Sério? Charlaine Harris tá começando a parecer sádica, tentando fazer a novela perdurar até esse ponto. Por que não muda a problemática? Ela já criou diversas situações onde ela podia dar uma renovada na história, mas, não, resolve manter tudo como está. Eu chamo isso de tortura de personagem.

Máquina de fazer dinheiro é só um apelido.

Eu acho uma pena, ela podia estar explorando coisas novas, ao invés de voltar sempre ao mesmo ponto. O pior é que agora nem a ação consegue me distrair desse fato. Pelo menos a cena de sexo é legal.

Nota 8,5, porque a esperança é a última que morre.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

From dead to worse


SPOILER FREE

E assim chegamos ao oitavo livro da série... haja fôlego!

Como dizer as coisas sem parecer muito ruim? Forçação de barra? Passou dos limites? Faltou imaginação? Difícil.

Acho que Charlaine Harris chegou num ponto que não tem muito mais pra onde ir, então, para poder manter a história andando (porque ainda tem pelo menos mais 3 livros publicados e um 4° previsto pra maio do ano que vem), e ganhar o seu rico dinheirinho, ela resolveu não medir consequências. Ela não se incomoda em fazer alguns personagens terem atitudes que simplesmente não combinam com eles. E nem uma boa desculpa ela arruma. Triste.

O que mantem a leitura é a ação. Muita ação, pra variar, mas, funciona, né? Ao invés de fazer as personagens tomaram verdadeiras decisões, ela mantem a ação correndo solta, no ritmo de não dá nem pra respirar. Dá pra chegar no final do livro dessa forma sem grandes problemas. Mas assim que você termina fica aquela sensação de: mas, hein? Foi isso mesmo? Sério? Depois que a adrenalina diminui fica um sentimento de estranheza. Eu esperava mais, ainda mais de tudo que ela fez até aqui.

Nota 8,5 em homenagem aos livros anteriores.

sábado, 24 de dezembro de 2011

A Christmas Carol

SPOILER FREE


Claro que não podia ser diferente na véspera do Natal! Deixei esse livro especialmente para essa data!

Foi um livro cheio de primeiras vezes: primeiro livro do Charles Dickens, primeiro livro lido no celular e primeiro livro "comprado" (foi de graça) na Amazon Kindle (lido no aplicativo grátis que eles fornecem para celular Android)!

E foi uma experiência interessante... a tela do meu celular (um X10 mini) não é lá grandes coisas (literalmente), mas dá para ler com algum conforto. Mas não li no metrô nem em casa, para isso prefiro livros normais. Já no banheiro... foi uma ótima ideia! Claro que por isso demorei muito mais tempo que o "normal" para ler o livro, mas acho que valeu a pena. Talvez eu me desse bem com um tablet. Um dia no futuro talvez nem tão distante eu descubro, por enquanto fico no celular mesmo.

E sim, claro, é O CONTO do Charles Dickens... agora me deu vontade de ler outras obras dele, mas talvez não em inglês, achei meio pesado demais para ler no idioma de Shakespeare (ainda mais no banheiro, quando estamos nos concentrando em outras coisas, né?). Dickens é rico em descrições, o que é legal, mas o vocabulário e a estrutura são meio bizarros (cofcofantigocofcof) e dificultam a leitura.

Mesmo já conhecendo a história (quem não conhece?) me diverti e me emocionei durante a leitura, o que me surpreendeu positivamente. Dickens nos envolve e nos prende com as suas lindas descrições, e você se apaixona imediatamente pelos personagens. Charlaine Harris é legal, mas eu estava com saudade de coisas assim, caiu muito bem, ainda mais nessa época do ano, acho que o livro (será que ainda posso chamar assim?) me deixou inspirada.

Super recomendado! Inclusive comprei uma versão para crianças do conto para uma das minhas priminhas, espero que ela goste também!

Nota 10, claro!

E para fechar o post com chave de ouro, uma ilustração linda que encontrei do Espírito do Natal Presente para trazer boas energias para esse dia:

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

All together dead



SPOILER FREE

E a obsessão continua... acho que esse foi o livro que li mais rápido até agora. 3 dias. Assustador isso.

Pelo menos finalmente houve uma mudança no rumo da história e da personagem principal, Sookie não está mais de TPM! Em compensação, as calientes cenas de sexo fazem falta... mas são amplamente recompensadas por ação, muita ação. O mundo parece que dá uma reviravolta (que espero que seja explorada nos próximos volumes - inclusive ontem encomendei mais 2) e o livro é adrenalina pura! Lembra o clima do terceiro livro, onde a Sookie não consegue parar pra respirar, só que o pano de fundo é mais significativo para a história de mundo que a autora quer contar.

Achei muito legal ela incluir os acontecimentos históricos da época do lançamento do livro, dá uma sensação maior de coerência e de realismo ao mundo dela. E as estruturas das sociedades sobrenaturais são bem interessantes, e fazem sentido com a forma como ela descreve os seus respectivos indivíduos.

Como os dois últimos livros foram meio mais ou menos... esse dá uma renovada necessária na série, e levando em consideração que esse é o sétimo livro, impressiona. Charlaine Harris está crescendo no meu conceito.

Nota 9, merecida.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Definitely Dead


SPOILER FREE

Gente, eu tô lendo de uma forma tão alucinada os livros da Charlaine Harris que às vezes parece que os livros se confundem na minha cabeça... até porque a história é contínua entre um livro e outro... e já estou no sétimo livro, em menos de um mês (se não me engano).

Confesso que cheguei no sétimo livro meio que por inércia, porque desde que a Sookie resolveu ficar de TPM (que nesse volume é pelo menos justificável), a história fica meio chata. Mas é tanta ação, tanta coisa acontecendo, que não consigo parar de ler! Ô vício. Pra variar, lá se foi mais uma noite de sono até terminar o livro...

Começo a sentir falta de ter lido os contos que fazem parte do mundo da Sookie, pois eles complementam a história, descrevendo fatos que acontecem entre os livros (ou pelo menos, é isso que posso inferir). Obviamente os contos não foram traduzidos ainda, assim como Definitely Dead só deve ser lançado em português ano que vem, mas foi editada uma coletânea com todos eles (todos lançados até agora) que estou doidinha para conseguir (vi vendendo na Travessa e não sei porque não comprei).

E só para vocês terem uma ideia, a autora contratou uma espécie de continuista para a série da Sookie Stackhouse, aparentemente a história foi ficando tão grande e cheia de detalhes que só tendo alguém trabalhando só nisso para garantir que não haja problemas. Dá pra entender a minha sensação de estar perdida entre os livros, né?

De qualquer forma, o clima mistério/história de detetive continua, Sookie continua mal humorada, mas consegue melhorar o seu humor no final (também, quem não melhoraria?), a arquitetura social dos vampiros fica mais clara e o livro seguinte promete muito. Vamos ver se entrega mais do que esse.

Nota 9, por inércia também. Mas fica avisado que não é o melhor livro da série.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Dead as a doornail - Olhos de pantera


SPOILER FREE

Primeiro comentário, que eu não consigo me segurar: Olhos de pantera??? Sério? Que tipo de tradução é essa? Ainda bem que li o texto original, tenho medo do que poderia vir depois do título.

Nesse livro, Charlaine Harris resolveu mudar tudo. Sookie passa por uma fase turbulenta da sua vida (pra variar?) e está praticamente irreconhecível. Tudo bem, a menina está traumatizada (quem não estaria?), mas a forma como ela trata as pessoas me pareceu muito diferente, como se ela quisesse testar até onde as pessoas seriam suas amigas. Meio bizarro. Ao mesmo tempo, ela faz favores para todos. Não fez muito sentido pra mim, mas, dá pra relevar, quem não estaria assim, confusa, depois de tudo o que aconteceu nos livros anteriores?

Pelo menos a autora resolveu dar um tempo (em termos) na adição de novos tipos de seres sobrenaturais, e resolveu investir em acontecimentos que fundamentam o mundo que ela já criou. Ponto pra ela. E parece que ela anda com saudade de escrever histórias de detetive, porque, sério, esse livro, em particular, parece mais uma sucessão de histórias de detetive do que qualquer outra coisa. Ainda tem os seus momentos de comédia, terror, e muito pouco romance dessa vez (a personagem principal realmente está de TPM), mas esse livro é menos variado que os anteriores nesse sentido (ou ao menos é o que me pareceu).

Isso não necessariamente é ruim, veja bem, ela é boa nesse ramo! Eu, pessoalmente, fiquei bastante surpresa com muitos pontos ao logo da narrativa, e gostei das escolhas que ela fez. Apesar de não ser o meu gênero favorito, Charlaine conseguiu me prender até o fim, inclusive me fazendo dormir absurdamente tarde porque eu não conseguia largar o livro até chegar no final. De novo.

Acho que estou definitivamente viciada.

Nota 9, porque manter o vício até o 5° livro seguido não é fácil.

domingo, 11 de dezembro de 2011

Dead to the world - Procura-se um vampiro


SPOILER FREE

Sabe quando você vicia num estilo de livro? É o que estou sentindo no momento com relação aos livros da Charlaine Harris, com a saga da Sookie Stackhouse. É muito bom, divertido, mas assusta. E assusta por 2 motivos: primeiro, eu perdi completamente o controle quando cheguei no final desse livro, eu simplesmente li até terminar, sem ligar pra nada, porque não dava pra não ler; segundo, fico imaginando se a autora vai realmente conseguir continuar esse ritmo alucinante de incluir coisas novas e tenho minhas dúvidas. Já não tenho certeza se ela é realmente muito boa ou se prende o leitor pela quantidade de informações e adições ao mundo cheio de seres fantásticos.

Dúvidas a parte, esse livro traz uma grande mudança na vida da personagem principal, quer dizer, mais de uma! (pra variar...) E a mudança de tom é bem vinda, pois traz uma nova cor para a personagem principal, o que ficou bem bacana, e ela ganha novos terrenos para explorar nos volumes seguintes (esperta essa Charlaine Harris). E dessa vez ela deixou um gancho absurdamente óbvio para o livro seguinte, que obviamente está sendo seguido (sim, já comecei a ler o livro seguinte... estou mesmo viciada... ó vida...).

Mas o mais importante é que a autora consegue manter o nível dos livros anteriores, sério. Dá pra entender o meu medo de por quanto tempo isso vai durar? Bom, vamos ver...

Nota 9, porque mantém o patamar dos anteriores e eu sou uma pessoa razoavelmente justa.

Ah, e uma coisa muitíssimo importante: BATI MINHA META DESSE ANO!!!!!!!!

Ufa! Me sinto até aliviada... quando comecei a série dos vampiros estava preocupada com minha meta... menos de 2 meses pro final do ano e faltavam 4 livros... nada como arranjar algo que vicia nessas horas! Acho pouco provável que eu chegue na minha meta normal, de 30 livros por ano, mas num ano que fiz obra geral de apartamento, me casei e me mudei, 20 livros tá bom, né? 20 nada! Já comecei o 21°! Vamos ver até onde consigo chegar...

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Club Dead - Clube dos vampiros



SPOILER FREE

O terceiro volume da série sobre a telepata Sookie Stackhouse é adrenalina e libido puros! Mais uma vez a autora consegue retratar acontecimentos de um espaço curtíssimo de tempo! E parece que a pobre Sookie não pára, não dorme, não come... e pelo andar da carruagem da história é possível que ela não tenha feito nada disso mesmo, e tudo num ritmo alucinado que lembra o Código da Vinci (só que sem cortes entre histórias e bem escrito).

Esse foi um livro que tive muita dificuldade de largar, levava até pro banheiro. Livro assim é bom, mas atrapalha a vida...

Noto que a autora vai enriquecendo cada vez mais os personagens, o que é legal, e vai aumentando a proporção do mundo sobrenatural, o que pode ser perigoso, mas até agora está coerente e organizado, então não vou reclamar.

Novos personagens tão interessantes quanto os anteriores surgem e a coitada da Sookie se aprofunda na sua crise com relação aos seres não-humanos, por assim dizer. Por enquanto as coisas não estão repetitivas, é tudo novidade o tempo todo e os problemas que surgem são sempre diferentes, o que é muito divertido e mantém o efeito surpresa. O meu medo é saber se a autora consegue manter isso pela série toda... afinal, são 11 livros! Isso se ela não lançar mais nenhum em 2012!

Os 3 títulos, Dead until dark, Living dead in Dallas e Club Dead, são todos praticamente do mesmo nível, ou muito parecidos... o segundo e o terceiro têm um ritmo mais puxado, mas também não têm tanta ambientação e personagem para apresentar, o que os tornam mais dinâmicos mesmo. Mais a pegada muda um pouquinho em cada um, enquanto o primeiro puxa mais o terror, o segundo puxa mais o suspense, o terceiro é mais equilibrado entre suspense e drama. E os três tem toques de comédia que são impagáveis de tão bons, daqueles que você precisa parar de ler para rir, respirar e só então voltar à leitura.

Nota 9, por enquanto

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Desafio Literário 2012

 
Depois de quase 3 anos de blog, resolvi que era hora de tentar participar do Desafio Literário!

O Desafio funciona da seguinte forma, a ideia é ler pelo menos 12 livros ao ano (fácil, fácil), ganhando o título de leitor bronze, se você ler entre 12 e 24 livros, é leitor prata (tô quase lá esse ano), e se ler 24 livros, leitor ouro! Como minha meta anual é de 30 livros não deve ser complicado. Mas o negócio da gincana é que precisa ler os livros de acordo com a temática do mês! E isso é que me complica a vida, dado que sou muito errática na minha escolha de livros... E nesse ano os temas estão bem interessantes... olha só:

Janeiro  2012

Literatura Gastronômica - mês dedicado ao sabor da leitura. Afinal, leitura sem gosto não tem a menor graça. Em razão disso, propomos um tema leve, divertido e saboroso; sejam em forma de crônicas, poesias, romances, diários, biografia, memórias e demais gêneros que versem sobre a temática da comida.  ATENÇÃO: Livros contendo apenas receitas não valem.
 
Exemplos:
  • Papel Manteiga Para Embrulhar Segredos - Cartas Culinárias, de Cristiane Lisbôa
  • Afrodite - Contos, Receitas e Outros Afrodisíacos, de Isabel Allende
  • Como Água para Chocolate, de Laura Esquivel
  • Julie & Julia, de Julie Powell
  • O Clube dos Anjos - Coleção Plenos Pecados: Gula, de Luis Fernando Veríssimo
  • A Mesa Voadora, de Luis Fernando Veríssimo
Desses, Como Água para Chocolate me parece interessante... mas eu não tenho em casa. Vou ver se consigo emprestado (detesto isso, mas fazer o quê? Pelo menos é para ler em janeiro) ou arranjo num sebo.

Fevereiro  2012

Nome Próprio (de pessoas) – existem personagens cujo imenso carisma  ganha logo destaque na capa de um livro.  E a regra do mês é essa: só vale livros cujo título seja um nome próprio - e apenas ele -, exemplo: Quincas Borba, Benjamin, Emma. Vai ser divertido e muito fácil caçar títulos do tipo; seja na estante de casa, de uma livraria ou de uma biblioteca.  ATENÇÃO: apenas nome próprio de pessoas!
 
Exemplos:
  • Emma, de Jane Austen
  • Coraline, de Neil Gaiman
  • Benjamim, de Chico Buarque
  • Frankenstein, de Mary Shelley
  • Quincas Borba, de Machado de Assis
  • Cassandra, de Christa Wolf
  • Paula, de Isabel Allende 
  • Pollyanna. de Eleanor H. Porter
Inicialmente pretendo ler Peter Pan :-) que eu sempre quis ler (comprei na penúltima Bienal e está na minha estante olhando pra mim com cara de cachorrinho abandonado desde então) e agora eu tenho uma ótima desculpa.

Março 2012

Serial Killer - O tema é autoexplicativo, mas para não dar margem às dúvidas, vamos lá: Literatura policial em que há a combinação de (policiais/detetives), investigação e, claro, homicídios seriados.
 
Exemplos:
  • O Silêncio dos Inocentes, de Thomas Harris
  • Dexter - A mão esquerda de Deus, de Jeff Lindsay
  • Abril Vermelho, de Santiago Roncagliolo
  • Eu mato, de Giorgio Faletti
  • Criança 44, de Tom Rob Smith
Tá, esse tema não é exatamente do meu gosto... mas eu vou achar algo legal pra ler. Alguém tem alguma sugestão?

Abril 2012

Escritor(a) oriental
- que tal explorar a terra do Sol nascente e demais países do Extremo Oriente e do sul da Ásia? Entram em cena os escritores chineses, japoneses, indianos, coreanos, etc...
 
Exemplos:
  • Não me abandone jamais, de Kazuo Ishiguro – Japão
  • Eu sou um gato, de Natsume Soseki – Japão
  • Teatro dos Lírios, de Lulu Wang – China
  • Mar de Papoulas, de Amitav Ghosh – Índia
 Ainda não decidi o que vou ler... mas tenho alguns livros de autores orientais em casa, não vai ser difícil. Salman Rushdie pode ser uma opção.

Maio 2012

Fatos Históricos – Esse mês será destinado à leitura de romances cuja trama apresente acontecimentos que marcaram a história nacional ou mundial. Frisando, apenas romances. Não valem livros de História Geral, nem biografias.

Exemplos:
  • Por quem os sinos dobram, de Ernest Hemingway – Guerra Civil Espanhola 
  • O menino do pijama listrado, de John Boyne – Holocausto
  • A condição humana, de André Malraux – Guerra Civil Chinesa
  • A Sombra da Guilhotina, de Hilary Mante – Revolução Francesa
  • As meninas, de Lygia Fagundes Telles – Ditadura Civil Militar Brasileira 
  • O Diário de Anne Frank, de Anne Frank - Holocausto
Bom... qualquer coisa do Christian Jacq (ou quase qualquer coisa), deve servir, e como ainda tenho alguns livros pra ler dele... vai ser tranquilo. Outra opção é Bernard Cornwell... tenho as crônicas saxônicas inteirinhas em casa me esperando... hum...

Junho 2012

Viagem no Tempo – romances que abordem a ida de viajantes do  tempo para o passado  ou futuro. Se eles voltam ou não, só a história dirá. Em tempo: Livros científicos ficam de fora.
 
Exemplos:
  • Matadouro 5, de Kurt Vonnegut
  • A Máquina do Tempo, de H. G. Wells 
  • A descronização de Sam Magruder, de George Gaylord Simpson
  • O fim da eternidade, de Isaac Asimov
  • Os Correios do Tempo, de Robert Silverberg
  • A Mulher do Viajante no Tempo, de Audrey Niffenegger
  • Contato, de Carl Sagan
 Está aí um tema que eu nunca li... vou pesquisar :-)

Julho 2012

Prêmio Jabuti –  Esse é o prêmio mais importante do cenário literário brasileiro. E conta com 29 categorias, mas para fins do Desafio literário valem apenas as categorias  Livro do Ano  e  Romance, de qualquer uma das 53ª edições da referida premiação leitura. Para abrir mais o leque de opções:  Além das obras ganhadoras, é permitida a leitura das obras indicadas ao prêmio. Clique no link abaixo e pesquise:  http://www.cbl.org.br/jabuti/telas/edicoes-anteriores/

Exemplos:
  • Gabriela, Cravo e Canela, de Jorge Amado – Romance 1959 
  • O Senhor Embaixador, de Érico Veríssimo - Romance 1966
  • A Hora da Estrela, de Clarice Lispector – Romance 1978
  • O Filho Eterno, de Cristovão Tezza – Romance 2008
  • Cordilheira, de Daniel Galera – Romance 2009
Ah... se eu pudesse repetir leitura... leria novamente Caixa Postal 1984... mas não pode, né? É contra as regras :-( 
A Hora da Estrela parece legal.

Agosto 2012

Terror - O tema impõe a regra: tem que ser história que mete medo.  Pode ser suspense psicológico ou sobrenatural, isto é, valem tanto as histórias com personagens sobrenaturais (vampiro, zumbi, bruxas, lobisomem...) como as narrativas com personagens humanos.
 
Exemplos:
  • A Última Esperança sobre a Terra, de Richard Matheson
  • Contos do Terror, de Edgar Allan Poe
  • A Casa das Bruxas, de H. P. Lovecraft
  • Celular, de Stephen King
  • 666 - o limiar do inferno, de Jay Anson
 Oba! Vou ler A Múmia, da Anne Rice! Que comprei na Bienal desse ano :-)

Setembro 2012

Mitologia universal – Romances, poesias, contos que abordem mitos e lendas de culturas distintas (brasileira, Greco-romana, céltica, indiana, mexicana, nórdica, etc...).  É um universo de opções!!! Mas até que Setembro chegue, há um bom tempo para a pesquisa e aquisição. É manda ver. 
 
Exemplos:
  • A criança roubada, de Keith Donohue (Skoob)
  • As Brumas De Avalon - Livro 1 - A Senhora Da Magia, de Marion Zimmer Bradley (Skoob
  • Sonho de uma Noite de Verão, de William Shakespeare (Skoob)
  • A Pirâmide Vermelha - As Crônicas Dos Kane - Livro 1, de Rick Riordan (Skoob
  • A Divina Comédia, de Dante Alighieri (Skoob)
 Acho que vou aproveitar para ler minha edição bilíngue da Odisséia!

Outubro 2012

Graphic Novel – Vamos nos divertir mais! Para quem não sabe, Graphic Novel é um romance gráfico com enredos longos e complexos no formato de história em quadrinhos. ATENÇÃO: não valem gibis, aqueles de periodicidade mensal.

Exemplos:
  • Persépolis, de Marjane Satrapi
  • Gen Pés Descalços - uma história de Hiroshima, de Keiji Nakazawa
  • V de Vingança, de Alan Moore, David Lloyd
  • Watchmen, de Alan Moore
  • Maus - A História de um Sobrevivente, de Art Spiegelman
Apesar de ter algumas Graphic Novels dessa lista em casa, vou ler Palestina.

Novembro 2012

Escritor(a) africano
- que tal ler um autor nascido na grande mãe África? Pegue o mapa e monte o seu roteiro literário pelo continente africano.
 
Exemplos:
  • O Último Voo do Flamingo, de Mia Couto - Moçambique
  • Desonra, de J. M. Coetzee – África do Sul
  • A arma da casa, de Nadine Gordimer – África do Sul
  • Cotoco, John van de Ruit – África do Sul
  • O Vendedor de passados, de José Eduardo Agualusa – Angola
 Ainda bem que o Egito fica na África, tenho uma linda desculpa para ler mais Naguib Mahfouz.

Dezembro 2012

Poesia -  A correria típica do mês pede descanso, especialmente, para a alma. Vamos de lavar a alma com poesia! De qualquer forma e jeito, valem Haicais, acrósticos, épicos,  cânticos, elegias..., em outras palavras, pesquise, pesquise, pesquise!)

Exemplos:

  • Uivo, de Allen Ginsberg 
  • As coisas, de Arnaldo Antunes
  • Uma temporada no inferno, de Arthur Rimbaud
  • Morte e Vida Severina e outros poemas para vozes, de João Cabral de Melo Neto
  • Eu e outras poesias, de Augusto dos Anjos
 Vou aproveitar para ler os cânticos de Homero, que comprei na Amazon no início do ano :-)


Que 2012 venha com tudo!

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

100° POST!!!! - Living dead in Dallas - Vampiros em Dallas

Primeiro, preciso anunciar algo fantástico:


ESSE É O 100° POST!!! Uhuuuuuuuu!!!!

Só pra ser sugestivo com o livro-tema do post!

O blog nasceu em junho de 2009, e desde então foram:

  • 100 posts!!!
  • 2 metas batidas
  • 2 retrospectivas
  • 7 posts aleatórios
  • 1 participação em Meme Literário com 31 posts
  • 2 escritores analisados
  • 66 livros analisados
Agora vamos à razão de ser do blog!




SPOILER FREE

Continuação de Dead until dark (que teve a tradução literal e que soa muito mal, morto até o anoitecer), Living dead in Dallas é muito divertido (e a tradução do título ficou muito melhor)! Arrisco a dizer que é melhor que o primeiro livro! Não tem nenhuma cena com tanta adrenalina quanto o final do primeiro, mas tem momentos muito próximos, que são de arrepiar! Aliás, o livro inteiro é recheado de momentos assim!

A construção da personagem principal, Sookie, continua, conforme ela vai desenvolvendo a sua habilidade de telepata e começa a contar mais do seu passado, e com isso ela vai ficando ainda mais interessante!O seu relacionamento com o mundo sobrenatural se aprofunda, por mais que ela tente evitar, e isso traz à tona conflitos internos na personagem, que prometem ficar ainda mais interessantes também. Os demais personagens também crescem e ganham background, deixando a história toda mais redonda, e claro, a autora aproveita para acrescentar mais seres sobrenaturais.

Já mencionei que ela pisa na jaca nesse ponto? Pois é. Mas funciona, então tá valendo.

Uma coisa que me impressiona é como ela mantém a narrativa praticamente contínua, tanto o primeiro quanto o segundo livro narram acontecimentos que duram pouquíssimo tempo! No caso do segundo, isso é ainda mais drástico, tudo se passa em 3 ou 4 dias. Isso não é muito comum em séries de livros, e fiquei imaginando como conseguiram transformar isso em série para TV! (Nota mental: preciso assistir essa série! Pra ontem!)

Outro ponto interessante é a viagem e a reação que a personagem principal tem a Dallas, que é muito enriquecedora, mostrando bem como é o americano médio que mora no interior dos EUA, que a maioria das pessoas não tem ideia de como é parecido com o pessoal do interior daqui mesmo. Dá um colorido especial à história.

E é melhor eu parar por aqui, antes que eu não consiga me segurar e comece a dar spoilers!

Nota 9, como o primeiro livro, que talvez eu tenha exagerado por conta da surpresa.

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Google homenageia o escritor Mark Twain

E eu como fã do autor não podia deixar de postar isso aqui, olha só que gracinha que ficou!


Muito lindo, né?

Ainda preciso ler o livro Aventuras de Tom Sawyer, que deu origem a esse desenho...

domingo, 27 de novembro de 2011

Dead until dark - Morto até o anoitecer



SPOILER FREE

Ando numa fase que quero esquecer dos meus problemas e relaxar... e nada melhor para isso do que literatura de fantasia. Tanto que minhas compras de natal na Amazon incluem um exemplar do último livro do Christopher Paolini (o que escreveu Eragon, e cujos livros eu já li e estão aqui e aqui).

A escolha dessa vez se deu por indicação de uma amiga, que leu os livros da Charlaine Harris e que é fã da série originada desses livros, a famosa True Blood. Confesso que depois da minha experiência com Twilight, e ainda por cima sabendo que os personagens principais tinham características parecidas (em Twilight o vampiro é telepata mas não consegue ler a mente da mocinha Bela, enquanto em Dead until dark a mocinha, Sookie, que é telepata, mas não consegue ler a mente do vampiro - mas devo salientar que Twilight veio depois!) fiquei muito apreensiva. Até que um belo dia encontrei os dois primeiros livros da série em promoção numa livraria e resolvi comprar pra ver no que dava, em crédito ao bom gosto da minha amiga.

Explico que comprei os dois primeiros volumes porque se eu gostasse e resolvesse devora-los loucamente eu tinha pelo menos uma continuação e não enlouqueceria entrando na primeira livraria pra catar os livros seguintes. Tudo bem que isso acabou acontecendo de qualquer forma, como eu já relatei aqui da vez que entrei na Saraiva e saí comprando loucamente os livros da série, depois de ler o primeiro volume...

Mas voltando ao tema do post, Dead until dark é surpreendente! Primeiro, os personagens são interessantes, redondos e têm as suas próprias dificuldades e contradições, e a personagem principal, Sookie, é uma telepata com os problemas esperados e reais que a telepatia pode trazer (o que a torna muito mais interessante). Segundo, apesar de pisar fundo na jaca na quantidade de seres sobrenaturais, a autora consegue fazer o mundo permanecer coerente, que é o que realmente importa em literatura de fantasia. Terceiro, ela mistura gêneros: tem drama, romance, comédia, terror e sexo, tudo bem equilibrado. E o mais legal: às vezes parece que a autora simplesmente não se leva a sério! O que dá um toque especial. (Nota: a parte de sexo é mais "normal" que a da Anne Rice, e mais despretenciosa do que a da Nora Roberts - que eu detestei, ficando muito mais bem encaixada e até mesmo mais bem escrita)

Confesso que o resultado ficou próximo a Anne Rice (que pra mim está num pedestal, apesar de ter alguns livros que deixam muito a desejar), e estou lendo avidamente os livros seguintes (já passei da metade do quarto livro - é estou atrasada de novo nos posts, grande novidade)! Inclusive, posso creditar a isso a possibilidade de eu conseguir alcançar a minha meta desse ano!

De certa forma, as premissas da Charlaine Harris são mais simples e funcionais para explicar porque os vampiros existem que as da Anne Rice, e a escolha da própria telepata Sookie estar contando a história é ótima, porque já existe um pretexto para ela poder te contar o que se passa na cabeça dos outros, com o devido acréscimo da crítica da personagem, o que é muito divertido. Sookie não chega a ser um Lestat, não sendo tão selvagem, imprevisível e amante incondicional da vida, mas é uma personagem bastante rica e que conforme os livros vão evoluindo, ela vai ficando ainda mais interessante.

Nota 9, pela surpresa bem vinda.

terça-feira, 22 de novembro de 2011

Haroun and the sea of stories - Haroun e o mar de histórias



SPOILER FREE

Sabe aquele livro que você leu na sua infância/início da adolescência, achou simplesmente o máximo e morre de vontade de ler de novo? Agora imagina que esse livro foi escrito por um mestre da literatura como Salman Rushdie, o que por si só já te deixa mais curioso ainda!

Pois é, essa é a minha relação com Haroun e o mar de histórias.

Passei anos procurando uma versão mais em conta do livro para poder comprar, até que descobri que existia uma versão de bolso! Que procurei infrutiferamente em diversas livrarias e acabei por comprar uma versão em inglês mesmo.

Fatos interessantes sobre o livro: Salman Rushdie o escreveu para o seu filho, e dedicou a obra a ele. Mais tarde, o seu filho mais novo reclamou que não tinha um livro para ele também, e o autor escreveu uma continuação, contando a história do irmão mais novo de Haroun, que saiu em português no ano passado, com o título Luka e o Fogo da Vida.

Minhas impressões? Certamente eu gostei mais do livro quando eu era pequena, mas o livro é muito bom como literatura infantil, muito bom mesmo. Mas infelizmente sinto já passei da fase! rsrsrsrsrs Tudo bem que de vez em quando adoro ler um livro infantil, ainda mais como esse, mas acabei não lendo num momento apropriado, sabe como é?

Relevando esse fator (muito importante para mim), o livro é muito bom. O autor, pra variar, faz brincadeiras maravilhosas com as palavras (ele é mestre nisso), criando palavras novas e se utilizando de palavras do hindustâni (língua no norte da Índia) para colorir mais o mundo de Haroun. Mas não é porque o livro é infantil que o assunto por trás da fábula deixa de ser sério! Muito pelo contrário! Salman Rushdie aproveita para tratar de forma leve de temas muito sérios, como política, liberdade de expressão e, se não fosse pouco, poluição. De quebra ainda trata da importância das próprias fábulas na formação da criança e na sociedade. Demais, né? Coisa de mestre.

Nota 8,5 (porque não foi a mesma coisa que ler criança e eu errei o timing) e ansiosa para ler a continuação!

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Meme Literário de Um Mês 2011 dia 31 - em atraso

E finalmente chegamos ao fim do Meme Literário de um mês! Em atraso, pra variar, mas pelo menos fui até o fim!!! Missão cumprida com ressalvas.

Dia 31 – Qual o livro que você leu esse ano que mais gostou? Fale sobre ele.

Cara, assim você me mata! Um só? Pode ser uma trilogia? Porque esse ano eu li a Trilogia do Cairo, do Naguib Mahfouz, que, como dizer? É das melhores coisas que já li na vida, e eu não quero escolher só um dos livros. Pode ser?

Maiores detalhes aqui, aqui e aqui.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Meme Literário de Um Mês 2011 dia 30 - em atraso

Dia 30 – Qual foi o último livro que você comprou? Fale sobre ele.

Hum... como estou escrevendo esse post adiantado, o último livro que comprei na verdade foram 7... daquela compra quando fiquei sem ter o que fazer no shopping, lembram?

Pois é, daquela vez eu comprei vários livros da série que deu origem a True Blood. Tudo porque eu já tinha comprado os dois primeiros para ver do que se tratava (se eu não gostasse não gastava mais dinheiro, né? E se gostasse tinha pelo menos uma continuação para matar a vontade), e tinha gostado do primeiro livro (que ainda não coloquei no blog - shame on me, mas estou muito atrasada mesmo), então, como tinha quase todos os demais livros da série na livraria por um preço legal, resolvi levar. Mas, além dos livros de vampiros, acabei encontrando também o último livro da Série Sagas Saxônicas do Bernard Cornwell, que eu comprei na Amazon, mas faltava o último volume. Por uma sorte (ou azar) da vida, a versão que a livraria tinha era exatamente da mesma série (mesma capa) que comprei pela internet, então, apesar de estar caro, comprei também.

Agora vou fazer só um cometário: estou numa fase que quero só ler coisas leves, nada de literatura séria ou pesada, por isso o momento "livros de vampiros".

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Meme Literário de Um Mês 2011 dia 29 - em atraso

Dia 29 – Quantos livros em média você costuma comprar por mês? Você costuma comprar livros em sebos, ou prefere as livrarias? Compra muito pela internet?

Assim complica, esse post vai parecer apresentação para Associação do Viciados em Livros Anônimos...

Sabe, começa pelo fato de que não conto quantos livros eu compro por mês, porque sei que vou ficar assustada. Mas também é extremamente raro eu passar mais de um mês sem comprar livros... e mais raro ainda é eu comprar um livro só (porque quando começa, meu amigo, sai de baixo!).

Ainda tem o problema de eu não poder visitar livrarias... porque sempre saio com compras. E nem adianta não visitar, pois compro muito pela internet também! Amazon, Travessa, Cultura e Submarino são minhas testemunhas.

O único lugar que parei de frequentar (por conta da alergia, vamos deixar bem claro) é sebo. Infelizmente não dá mais. Livros velhos são coisa do passado para mim snif snif snif

Sabe o que é pior? Eu acho isso BOM! Melhor do que gastar com roupas que eu não preciso, não é mesmo?

Só para vocês terem uma ideia, na última sexta eu fiquei sem ter o que fazer no shopping. Escolha óbvia? Fui na livraria. Comprei 7 livros. 7! E estou só esperando o salário entrar porque estou de olho muito grande em alguns livros na Amazon...

Acho que sou um caso perdido.

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Meme Literário de Um Mês 2011 dia 28 - em atraso

Dia 28 – O que você faz quando encontra uma palavra que não conhece durante a leitura? Para para procurar no dicionário? Anota para procurar depois? Ou tenta deduzir seu significado pelo contexto?

Na maioria das vezes eu tento deduzir o significado pelo contexto... a última vez que li com um dicionário do meu lado foi quando estava aprendendo francês e inglês... ah! e quando eu li um livro muito bizarro chamado "Akhenaton, a história do homem contada por um gato", que não dava para entender sem um dicionário (aliás, preciso reler esse livro... eu era adolescente quando o li).

Às vezes eu até fico encucada com uma palavra ou outra e tento anotar mentalmente (aquela história de que nunca tenho nada para anotar quando leio, lembra?) para procurá-la no dicionário depois, mas invariavelmente eu esqueço.

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

Meme Literário de Um Mês 2011 dia 27 - em atraso

Dia 27 – Você costuma fazer anotações enquanto lê? Se sim, onde? A ideia de fazer anotações no próprio livro lhe assusta?

Não costumo fazer anotações, a não ser que eu esteja estudando o livro... e nesse caso são raras as excessões em que tenho medo de marcar o livro... o único livro que fiz anotações usando post-its colados pelas páginas foi um livro de dança do ventre, mas porque ele é uma mistura de livro teórico com livro de arte, e aí eu fiquei realmente com pena de marcar um livro tão bonito.

Mas na maioria das vezes nem tenho nada comigo para marcar o livro, mesmo que eu queira sublinhar uma passagem que eu tenha gostado...

domingo, 13 de novembro de 2011

Meme Literário de Um Mês 2011 dia 26 - em atraso

Dia 26 – Qual o maior (em número de páginas) livro que você já leu? Quanto tempo demorou? Fale sobre ele.

Hum... difícil... o maior livro que já li, em um só volume, foi Jonathan Strange & Mr Norrell, que tinha mais de mil páginas... e ADOREI. Confesso que penei para carregar o tijolo no metrô, mas valeu a pena, uma das melhores fantasias inglesas que já li. Muito bem organizado e escrito.


Agora, se formos contar os livros que são dividos em volumes, complica! Temos Senhor dos Anéis, que juntando os 3 livros dá aproximadamente 1200 páginas... que, bom, é Tolkien, passando da metade do primeiro livro é muito bom. E temos Xógum, que é dividido em 2 volumes, que eu li na versão de bolso (emprestada), cujos volumes tinham mais ou menos mil e oitocentas páginas juntos. Eu também adorei, mas o final... deixou a desejar.

sábado, 12 de novembro de 2011

Meme Literário de Um Mês 2011 dia 25 - em atraso

Dia 25 – Tem algum livro que você tenha mais de uma edição do mesmo? Se sim, por que?

Vixi... tenho váááários livros nessa categoria! Por motivos diferentes ainda por cima!

Vamos lá: tem livros que tenho mais de uma edição simplesmente porque as edições estão em línguas distintas, normalmente uma em português e outra na língua original, e eu não quero me disfazer do livro traduzido, porque tenho preguiça de vez em quando ou porque quero poder emprestar o livro para alguém e as pessoas não necessariamente falam a língua original, né? Ok, confesso que detesto emprestar livros, mas essa é uma excessão à regra, afinal não é o único exemplar que eu tenho, né? Amélie Nothomb está invariavelmente nessa categoria.

Outro livro que tenho mais de uma edição é Rubayat do Omar Khayam, mas nesse caso é porque eu já tinha uma versão, quando ganhei uma outra de aniversário, com uma tradução de um poeta brasileiro (que eu já esqueci o nome) e uma capa lindona. Fiquei com as duas.

Mais um livro que tenho mais de uma edição (nesse caso tenho 3) é Mil e Uma Noites. Mas esse é um caso complexo... tenho uma edição brasileira que é uma tradução da versão francesa, cheia de cortes para não impressionar os europeus do século XVIII (se não me engano), depois comecei a comprar (falta o terceiro volume) a versão em português traduzida direto do árabe, o que já é outro livro praticamente! E na penúltima bienal vi uma edição toda ilustrada (lindas ilustrações orientalistas), lindona, de capa dura, da versão inglesa (também do século XVIII ou XIX) que eu simplesmente precisei comprar. Não falei que era complexo?

E tenho duas versões do Corão, simplesmente porque as traduções também são diferentes pro português.

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Meme Literário de Um Mês 2011 dia 24 - em atraso

Dia 24 – Você lê um livro por vez ou gostar de alternar a leitura em dois ou mais livros?

Houve uma época na minha vida que eu lia diversos livros por vez, hoje, leio um de cada vez, e olhe lá!

Claro que estou me referindo aos livros que leio por prazer... pois se for contar os livros técnicos, aí leio uns 2 ou 3 por vez, depende do quanto estou estudando. Mas isso só acontece porque é impossível estudar no metrô. Outra mudança, pois eu lembro que estudava amarradona no ônibus quando estava na faculdade... olha a nostalgia batendo...

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Meme Literário de Um Mês 2011 dia 23 - em atraso

Dia 23 – Você costumar ler e-books? Ou prefere o bom e velho livro em papel? Por que?

Eita pergunta difícil!

Bom, como eu ainda não tenho um tablet, e como ler no celular (apesar de eu ter vários aplicativos) ou no computador é algo muito desconfortável (o primeiro por ter uma tela demasiado pequena, o segundo porque cansa a vista), eu ainda sou partidária do livro de papel. Quando eu tiver um tablet legal, que permita fazer anotações nos livros, possa ser usado sem perigo à vista dos outros no metrô e com convertibilidade total dos arquivos, eu avalio novamente. Até lá minha estante só ficará mais cheia.

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Meme Literário de Um Mês 2011 dia 22 - em atraso

Dia 22 – Cite um ou dois livros com títulos que você acha interessante. Você costuma escolher livros pelo título?

Eu sei que é vergonhoso, mas sim, escolho livros pelo título, inclusive costuma ser assim que conheço novos autores. Mas, apesar de ser um hábito, não é uma regra, pois quando gosto de um autor costumo procurar todos os outros livros dele. Outra forma de conhecer novos autores, que eu uso muito é indicação: adoro indicação de amigos que tem o gosto literário parecido com o meu!

Mas vamos às citações, né? Para ser justa, vou citar um livro bom e um ruim!

-Como falar dos livros que não lemos - sério, como não querer ler um livro desses? Por sinal, o livro é muito bom.

-Yoga para quem não está nem aí - nesse caso só o título é que presta. Infelizmente, pois com um título desses, prometia, não prometia?

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Meme Literário de Um Mês 2011 dia 21 - em atraso

Dia 21 – Quanto tempo em média você demora para ler um livro?

Depende exclusivamente do livro, tanto do tamanho, quanto de quão legal eu acho que ele é. Mas em média, eu demoro uma semana num livro, mas já li livros em um dia, ou em mais de um mês (o último que demorou tanto tempo, se eu não me engano, foi o primeiro volume da Trilogia do Cairo).

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Coisas que não se deve fazer

Gente, apesar de ter escrito a maior parte do même literário de um mês com muita antecedência, não consegui escrevê-lo todo antes de entrar na fase mais louca da minha vida. Resultado: não consegui terminar :-(

Então, olha, conselho de amiga: não case e faça mudança com final de obra ao mesmo tempo. Sério. Não tente. Você vai enlouquecer e levar um monte de gente junto. E o pior: não vai conseguir fazer tudo no prazo que você queria.

Tudo bem que perdi o barco, mas queria terminar de responder as perguntas, então tenham um pouco de paciência, que elas vão continuar, atrasadas, mas vão continuar até o fim, ok?

É isso!

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Meme Literário de Um Mês 2011 dia 20

Dia 20 – Você gosta de poesias? Qual o seu poeta ou poema favorito?

Já li muita poesia, mas hoje leio basicamente literatura e livros técnicos. Mas na época que eu lia muita poesia, meus poetas favoritos eram Drummond, Cecília Meireles, Vinícios de Morais, Prevert e Rimbaud. Ainda tenho uma coleção grande de livros deles...

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Meme Literário de Um Mês 2011 dia 19

Dia 19 – Qual é o livro que você leu, gostou e recomenda para todo mundo ler também?

Pergunta sacana... só um??? Puxa, e o que eu faço com a minha lista de sugestões de livros no meu blog? Muito difícil isso... só um. Será que podemos fazer por temas? Um por tema?

Assim:

Romance histórico - história antiga: Coleção Ramsés - Christian Jacq

Romance histórico - história da Inglaterra: Trilogia do Rei Arthur - Bernard Cornwell

Romance histórico - história moderna: Trilogia do Cairo - Naguib Mahfouz

Fantasia infanto-juvenil: The Graveyard Book - Neil Gaiman

Fantasia Young Adults: O servo dos ossos - Anne Rice

Literatura brasileira: Leite derramado - Chico Buarque

Literatura estrangeira: Ensaio sobre a cegueira - Saramago

Filosofia/leitura/educação: Como falar dos livros que não lemos - Pierre Bayard

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Meme Literário de Um Mês 2011 dia 18

Dia 18 – Você lê livros que não são para sua idade? Como livros infanto-juvenis ou YA para quem é adulto, ou livros adultos para quem é adolescente.

Leio e muito. Talvez ainda mais do que seria recomendado, mas o que posso fazer? Adoro alguns livros infanto-juvenis e principalmente YA (adultos jovens em inglês). Exemplos: Harry Potter, os infanto-juvenis de Neil Gaiman, a meleca da saga Crepúsculo (olha ela de novo... que inferno isso! rsrsrsrs), e outros, que seu eu parar para listar pode ficar meio grande demais. Só mais um exemplo: no momento estou lendo um livro mais para infantil do que infanto-juvenil do Salman Rushdie, e estou gostando.

Lembro que quando eu era criança (tipo, tinha menos de 12 anos), eu adorava ler poesia, e não era poesia para criança. Passava horas escolhendo trechos para copiar na agenda... até datilografava para colocar na porta da geladeira (isso entrega a idade rsrsrsrs, mas a máquina de escrever virou computador rapidinho, disso eu também lembro!). Aliás, eu li muita poesia durante a adolescência também... depois é que eu cansei um pouco e resolvi ler mais literatura mesmo. Engraçado, não lembro de ler literatura para adultos quando era criança ou adolescente... mas a minha memória é ruim, então pode ser que eu lesse mas eu simplesmente não lembro mais!

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Meme Literário de Um Mês 2011 dia 17

Dia 17 – Cite um livro que você achou que iria gostar e acabou não gostando. Fale sobre ele.

Ai ai ai... é uma lista... pra variar. Mas vou me ater a apenas 2 livros.

Um que me deixou chocada com a falta de qualidade: "Dewey - um gato entre livros". A versão felina de "Marley & Eu", com a diferença que é mal escrita (não que Marley seja uma obra literária, não é, é jornalística, mas é bem escrita). A história é até legal, e eu amo gatos, então teria de tudo para eu gostar do livro, mas é tão mal escrito, é tão tão tão ruim, que eu não consegui nem curtir a história. Inclusive, o livro já foi embora da minha estante há muito tempo, o que é raro.

Um que me surpreendeu pelo excesso de cristianismo: "A Cabana". E olha que ele me foi altamente recomendado... Veja bem, eu acredito em Deus e adoro fábulas, mas não mete Jesus no meio (ou a Bíblia como se fosse verdadeira literalmente), ainda mais desse jeito... tenho certeza que o cara era legal e foi uma pessoa maravilhosa, um grande mestre e tudo o mais, mas não tenta me convencer que ele é Deus. Sério. Não tenta, é perda do seu e, principalmente, do meu tempo. Mais informações sobre o que eu acho desse livro, aqui.

domingo, 16 de outubro de 2011

Meme Literário de Um Mês 2011 dia 16

Dia 16 – Cite um livro que você achou que não iria gostar e acabou adorando. Fale sobre ele.

Eu tentei fugir, juro que tentei, mas realmente não consegui lembrar de mais nenhum caso que alguém tenha me sugerido um livro que eu achei que não fosse gostar e acabei gostando, então, vou me render aos fatos: a saga Crepúsculo.

Vergonhoso, eu sei. Os livros são ruins, eu sei. A autora é mórmon e os personagens são uma piada, eu sei. A menina quer dar e o cara não quer comer antes de casar, eu sei. Tem vampiros purpurinados, eu sei. Mas eu gostei de ler. Pronto, eu disse. Agora eu explico: foi um momento muito bizarro de amor e ódio na minha vida de leitora. Eu queria matar a personagem principal, jogar o livro pela janela, cortar em pedacinhos as suas páginas e fazer uma fogueira de são João. Mas não conseguia parar de ler e quis comprar o box original (acabei ganhando :-) ufa! rsrsrsrsrs), além de ler o manuscrito do livro não lançado pela autora. Talvez seja um caso de masoquismo literário (estou tendo um caso parecido com a Descoberta das Bruxas...), mas eu confesso que me diverti horrores com as atrocidades da saga.

Para maiores informações sobre o que eu penso sobre isso, veja aqui.

sábado, 15 de outubro de 2011

Meme Literário de Um Mês 2011 dia 15

Dia 15 – Qual é o seu vilão literário favorito? Por que?

Gente... fiquei alguns dias quebrando a cabeça e olhando os meus livros, procurando inspiração para responder essa pergunta. E sabe o que aconteceu? Nada. Não tenho um vilão literário favorito. Assim como não consigo pensar em nenhum herói que seja o meu favorito. Muito chato isso. Fiquei até meio deprê, sabe? Mas não sei... acho que eu não sou assim chegada a personagens específicos, eu curto mesmo é a história! O conjunto dos fatores que fazem um livro, uma obra.

Será que conta como resposta?

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Meme Literário de Um Mês 2011 dia 14

Dia 14 – Se você pudesse fazer uma pergunta para o seu escritor preferido (vivo ou morto), qual seria o escritor e qual seria a pergunta?

Ok... depois de muito refletir consegui pensar numa pergunta para o Bernard Cornwell: como ele arranja tempo (e dinheiro) para escrever tantos livros em tão pouco tempo, além de fazer a pesquisa que ele precisa para cada obra? Sério, o cara só pode ser mágico! Ou muito rico! Ou ambos!

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

A Discovery of Witches - A descoberta das bruxas



SPOILER FREE

Pois é... mais um caso estilo Crepúsculo na minha vida.

O livro é melhor do que Crepúsculo, não há dúvidas sobre isso, é mais embasado, faz mais sentido e os personagens são bem mais legais (nada de vontade de matar nenhum personagem, nem sair rasgando loucamente o livro), mas ainda assim não é bom.

E copia Twilight.

Quer ver? Olha só: temos vampiros (que podem sair a luz do dia e nem sempre se alimentam de sangue humano. Ponto positivo? Não brilham e não têm olhos de cores bizarras). Temos pessoas com super-poderes (ponto positivo: são bruxas! faz sentido!). Há um relacionamento amoroso entre vampiro/"humana", onde não se consuma as coisas (ponto positivo: faz mais sentido aqui!!!!). E mais um monte de coisas que é melhor não comentar pra não dar spoiler. (o resto que eu disse aqui não é spoiler, está na contracapa do livro!)

Mas a pior parte, de longe, muito longe, são as explicações genéticas para as coisas. Detesto quando fazem isso, me senti lendo a parte ruim da Hora das Bruxas da Anne Rice novamente. Mas não se preocupe, ainda piora nesse quesito, a autora consegue.

Fora o quesito "coisas erradas que não deveriam ter sido escritas", a autora parece sofrer de mudanças de opinião ao longo da história, os personagens são meio esquisofrênicos, fazem coisas demais (mas não são constantes nessas coisas), são experts em um excesso de coisas, sei lá, é estranho. Tudo bem que ninguém ali é humano no sentido literal da palavra, mas acho que ela exagerou. Fora os personagens que simplesmente somem... e depois aparecem do nada (sabe aquela sensação scooby-doo?).

Ah, e também dá aquela vontade louca de não largar mais para saber o que vai acontecer. Fiquei muito triste quando vi que o livro tinha uma continuação que ainda não foi lançada, fora que a forma que o livro termina é cruel de tanto atiçar a curiosidade! E eu detesto ter que esperar para conseguir a continuação de uma história, é por isso que ainda nem comprei os livros de Guerra dos Tronos (nesse caso específico rola um medo do autor morrer antes de terminar de escrever também).

No geral, nota 7,5.

Meme Literário de Um Mês 2011 dia 13

Dia 13 – Se você pudesse trocar de lugar com o personagem de um livro, qual seria? Que história dessa personagem você gostaria de viver?


Depois de me debater com a pergunta de ontem, já sei a resposta! Ramsés da Saga Ramsés do Christian Jacq. Imagina, ser um líder espiritual e político do Antigo Egito? E de quebra, ser rico, ter uma linda esposa (que não é só um enfeite, que é parceira mesmo) e viver até ficar velhinho. É de longe a melhor vida que alguém pode querer e praticamente ninguém pode ter.

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Meme Literário de Um Mês 2011 dia 12

Dia 12 – Se você pudesse conhecer um lugar/mundo que só existe nos livros, qual seria? Por que?

Pergunta difícil... muito difícil... até porque cada livro é um mundo que só existe nele, né? Pode ser uma lista? Tem alguns lugares muito interessantes de visitar, cada um por um motivo diferente, que é difícil de escolher... talvez em primeiro lugar ficasse o de Brumas de Avalon, porque, sério, qual mulher não gostaria de conhecer? Um mundo cheio de magia, onde a mulher tem um papel tão importante... fora conhecer todos os personagens: Morgana, Arthur... um prato cheio!

O mundo de Anne Rice também promete, imagina, poder ver o mundo pelos olhos de um vampiro, onde tudo é mais colorido, brilhante e vibrante? A perspectiva de ter de se alimentar de sangue não é legal, é verdade, mas adoraria ver mesmo assim.

Peter Pan! Claro, não podia ficar de fora! Poder voar e ser criança para sempre! Tá, ok, a parte de ser criança para sempre não é muito legal não, mas parece ser um mundo definitivamente divertido.

E, acho que decidi, agora realmente não tem mais para ninguém: o Egito antigo descrito pelo Christian Jacq. Nada supera isso. Mundo bacana, com uma dose de inexplicável (magia? tcham tcham tcham), pessoas educadas, lugares bonitos, onde a natureza e o próximo são respeitados, música ao vivo, construções deslumbrantes, calor, pouca roupa e mulheres numa posição melhor do que hoje. Insuperável.

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Meme Literário de Um Mês 2011 dia 11

Dia 11 – Cite um livro que fez você rir. Fale um pouco sobre ele.

Um livro que já me fez rir mais de uma vez é "Medo e Submissão" da Amélie Nothomb. Acho que já o li umas 3 vezes em francês e pelo menos uma em português... mas sempre me faz rir! As situações são tão bizarras e absurdas que você não tem outra saída a não ser rir! E como eu leio muito no metro, é mico garantido. Mas eu não ligo, adoro rir :-)

Agora, o último livro que me fez rir foi "Ex-libris confissões de uma leitora comum", que já foi devidamente resenhado por aqui, porque tem algumas histórias que são simplesmente hilárias!

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Meme Literário de Um Mês 2011 dia 10

Dia 10 – Se você pudesse escolher um único livro para ganhar/comprar até o final do ano, qual seria?

Só um???? Que é isso? Sacanagem? rsrsrsrsrs

Brincadeiras a parte, não pretendo comprar/ganhar mais nenhum livro esse ano, pois comprei mais livros esse ano do que eu li nos últimos 3 anos.


Mas já que estamos no mundo das ideias aqui, posso fazer um exercício rsrsrsrs eu compraria o último livro da saga Inheritance, do Christopher Paolini, que vai lançar nos EUA no final do ano... vejam só, não tenho planos para comprar mais livros esse ano, mas estou cheia de planos para 2012... não tenho jeito mesmo.

domingo, 9 de outubro de 2011

Meme Literário de Um Mês 2011 dia 9

Dia 09 – Você costuma ficar com todos os livros que compra? O que faz com aqueles que não gosta? Troca? Dá? Fica?

Eu tenho uma regra, nova, é verdade, mas não menos seguida por causa disso: só fico com um livro se eu realmente gostar dele e tiver planos de ler novamente (por planos entende-se vontade), ou se for livro de consulta (entende-se por livro de consulta aqueles ligados aos meus estudos e/ou trabalho, além de dicionários e enciclopédias). Caso contrário, eu doo o livro. A doação varia, às vezes é para alguma escola, às vezes para a família, e às vezes para ONGs.

Ah, essa regra tem como exceção os livros de coleção, porque senão fica feio, né, gente?

sábado, 8 de outubro de 2011

Meme Literário de Um Mês 2011 dia 8

Dia 08 – Quantos livros você tem? Qual o autor que você tem mais livros? Fale um pouco sobre isso.

Ai ai ai... Sabe que uma vez eu quase contei todos os livros que eu tinha... eu estava na faculdade e precisava aprender a fazer bancos de dados, logo, resolvi catalogar meus livros. Fiquei semanas catalogando e não consegui terminar rsrsrsrs depois desisti, e desde então doei muitos livros e comprei muitos mais. Então não tenho a menor ideia de quantos livros eu tenho.

Mas vou tentar fazer uma estimativa... agora estou me mudando, então estou encaixotando os livros... devo ter feito umas 10 caixas... e pelo andar da carruagem devo precisar de mais umas 10... uns 600, 700 livros talvez?

Autores que eu tenho muitos livros? É uma lista!

Bernard Cornwell... 12 livros do Sharpe, mais 2 trilogias, mais 2 livros sem continuação, mais 4 livros dos 5 da história dos reis da Inglaterra... 24 livros. Acho que é o campeão, mas também, acho que é o autor mais prolífico que eu curto.

Depois, acho que vem Anne Rice, com todos os livros das Crônicas Vampirescas, são 12 incluindo as novas crônicas, mais a saga das bruxas, 4 livros, mais 3 romances... 19 livros. Um honroso segundo lugar, né?

Depois vem Amélie Nothomb, com 18 livros (19 se contar o livro que eu tenho a versão em francês e em português). Nossa! Por pouco não bateu a Anne Rice! Vai bater rapidinho pelo andar da carruagem... ah, e tem um detalhe, a Amélie não escreve sagas. Mas os livros são todos pequenos, coube tudo numa caixa dos correios rsrsrsrs.

E Christian Jacq vem na lanterna, mas nem tão lanterna assim, com 13 livros.

Pelos meus autores favoritos dá pra ver que curto romances históricos e de fantasia, né?

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Meme Literário de Um Mês 2011 dia 7

Dia 07 – Você costuma emprestar ou pegar livros emprestados? Sim? Não? Por que?

Eu até pego livros emprestados, mas evito ao máximo pegar. Por que? Porque gosto de escolher o que vou ler de uma forma muito aleatória, e a não ser que eu pegue o livro para começar a ler imediatamente, acaba acontecendo de eu demorar séculos para devolver para o dono, porque tinha outras coisas que eu queria ler primeiro. Tenho livros que estão há anos comigo, e eu morro de vergonha disso. Até porque detesto que façam isso comigo e eu acabo fazendo com os outros. Detestável, não é? Eu sei.

Me façam um favor, não me emprestem livros. Rsrsrsrsrsrs

Ah, sim, não estava na pergunta, mas eu quero dizer assim mesmo: eu também não gosto de emprestar livros, pela mesma razão que eu não gosto de pegar emprestado. Eu empresto em ocasiões especiais: quando eu sei que a pessoa vai devolver rápido, ou então quando a pessoa precisa daquele livro para alguma coisa, como um projeto da faculdade, um projeto pessoal importante ou algo do gênero. Ah, sim, e em qualquer caso, a pessoa precisa ser de confiança. Ou então eu preciso não me importar com o livro rsrsrsrsrs

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Meme Literário de Um Mês 2011 dia 6

Dia 06 – Quem (ou o quê) inspirou seu amor por livros? Conte como foi.

Senta que lá vem história...

Bom, quem me viviou em livros foi meu pai, que não era lá um grande leitor (detestava ler sozinho e se recusava a ler qualquer livro com mais de 300 páginas, tá, 200 páginas), mas ele ADORAVA ler em voz alta. Até notícia de jornal ele lia em voz alta. Sério.

E ele também adorava as histórias da infância dele, então ele lia muito para mim, muito livro infantil e, às vezes, quadrinhos também. E ele também lia Mark Twain para mim, por isso tenho um carinho especial pelo autor. A história favorita dele era Pinóquio, a gente tinha umas 3 versões, todas diferentes. Mas dessas histórias infantis, a minha favorita é Peter Pan!

Lembranças boas...

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Meme Literário de Um Mês 2011 dia 5

Você costuma abandonar a leitura de um livro? Você está no meio da leitura de um livro, só que está odiando. É chato, sem graça, mal escrito… O que faz? Larga-o na mesma hora ou persiste até o final?

Pergunta difícil... é muito raro eu largar um livro, por mais chato, sem graça ou mal escrito que seja (por exemplo, eu li A Cabana e toda a Saga Crepúsculo até o fim). Alguns conseguem esgotar a minha paciência (que varia com o tempo, diga-se de passagem) e eu realmente largo. Exemplos? Veias abertas da América Latina (muito deprê demais da conta, e na época meu pai estava internado, então não rolou). Ensaio sobre a Lucidez (adoro o Saramago, mas não aguentei chegar nem nas eleições).

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Meme Literário de Um Mês 2011 dias 1, 2, 3 e 4

Resolvi participar do Meme Literário de Um Mês da Tábatha, do Happy Batatinha. Por pura diversão e para concorrer no sorteio, claro.

:-)

Então, estou começando atrasada (estou sempre atrasada, já repararam? Inclusive tenho um post de livro atrasado... aguardem, tá no forno), mas antes tarde do que nunca, então, vamos começar!

Dia 1:
Que livro que você está lendo?
(Sobre o que é? Onde você está? Você está gostando?)

Estou lendo "Haroun and the Sea of Stories" do Salman Rushdie. É um livro que o autor escreveu para o seu filho, quando ele era criança, logo, é um livro infantil. Eu o li quando era criança e lembro que era apaixonada pela história, mas me lembrava de muito pouco (o livro não era meu snif snif snif), então resolvi comprar um para mim e reler (dessa vez comprei em inglês porque não conseguia achar a versão em português de jeito nenhum - óbvio que na semana seguinte de comprar achei o maldito). Estou lendo ele exclusivamente no metro, porque obra, mudança e casamento tomam todo o meu tempo livre, e estou achando interessante redescobrir a história do pequeno Haroun (minha memória é mesmo horrível, não lembrava de nada!), mas confesso que minha memória infantil dele era mais bonita.

Dia 2:
Qual foi o último livro que leu e qual é o próximo livro que lerá?
(Fale um pouco sobre eles)

Ai ai ai... assim vai estragar a surpresa dos meus leitores rsrsrsrs

O último livro que li foi "A Discovery of Witches", que vi numa livraria, me encantei pelo título e pela descrição na contracapa. Ele estava com um bom preço e comprei. Simples assim rsrsrsrs. Depois descobri que a autora vinha para a Bienal (achei que fossem falar mais dela, mas...) e resolvi adiantar a leitura, apesar de que só consegui parar para lê-lo depois da Bienal. O livro é ruim, mas é divertido. Melhor que Crepúsculo, mas pior que Anne Rice numa fase ruim. Ainda vou comprar a continuação para saber como termina a história (gente curiosa é assim, meio masoquista).

O próximo livro que pretendo ler é "Luka e a chama da vida" (acho que é esse o título), também é do Salman Rushdie, e é continuação do "Haroun". O autor o escreveu, sei lá, uns 20 anos depois do primeiro livro, para o filho mais novo, que ficou com ciúme do mais velho que ganhou um livro do pai. Mas tudo pode mudar. Nunca sei ao certo o que vou ler, a vontade muda ao longo dos dias, né?

Dia 3:
Você lê resenhas de livros?
(Elas influenciam na escolha de um livro? Ou na opinião que você tinha sobre um livro lido?)

Leio, e escrevo rsrsrsrs.

Se me influenciam? Depende se eu concordo ou não com o argumento do resenhista. Se for alguém que eu conheço o gosto literário, não precisa de augumento :-)

E sim, às vezes elas mudam a minha forma de ver um livro. Mas isso também depende da memória que eu fiquei do livro (já mencionei que a minha memória é ruim?).

Dia 4:

Onde você gosta de ler?
(No sofá? Na cama? No ônibus? O lugar onde você costuma ler é o lugar onde você gosta de ler?)

Eu gosto de ler na cama e no sofá, mas leio mesmo é no metrô. De pé. Sem me apoiar em lugar nenhum, porque atrapalha a leitura. Assim, leio duas vezes por dia, por uns 15, 20 minutos de cada vez. Leitura diária garantida. Os outros passageiros atrapalham (a gente lendo também atrapalha, então tá tudo certo), o metrô balança, dá aquelas freiadas chatas (mas a dança e o kung fu me mantêm de pé), mas não tem melhor maneira de ir para o trabalho.

Infelizmente tenho lido muito raramente fora do metro... tristeza...

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

O visconde partido ao meio

SPOILER FREE

Do jeito que anda a confusão da minha vida, só mesmo apelando para livros como esse, do italiano Italo Calvino, que é bem fininho, para tentar chegar na minha meta anual... mas quem dita as regras sou eu, né? Ainda bem, senão estaria em apuros rsrsrsr

Aparentemente, esse livro foi o primeiro que o autor escreveu usando narrativa fantástica, e assim conseguiu o seu primeiro sucesso literário. E vou te dizer que para primeiro livro do estilo, está fantástico. Mas é Italo Calvino, não teria como ser diferente.

A história em si é bem simples, e bem óbvia pelo título do livro e pela contra-capa. O que traz aquela mágica são os detalhes (sempre os detalhes), que dão o colorido típico do autor. Inclusive essa obra me lembrou muito outro título dele, O barão nas árvores, que também é muito divertido, e também tem como personagem principal um nobre excêntrico (mais excêntrico, na verdade, visto que no caso do barão foi uma escolha, enquanto no do visconde foi uma fatalidade). O livro trata dos extremos que existem dentro de todos nós, e de quebra deixa visível como as pessoas boazinhas demais são tão sem graça (não é verdade?).

Melhor não dizer mais do que isso, porque o livro é tão pequeno que é difícil falar dele sem dar spoiler, é o tipo de leitura ideal para quem está com pouco tempo ou que curte contos. Dá para ler de uma vez só com tranquilidade, se você tiver tempo disponível (eu li no metrô, então não deu), e é uma história bem leve e engraçada.

Nota 9