Pesquisar este blog

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

LOL - Lying Out Loud



SPOILER FREE

Gente... estou super atrasada nas resenhas... esse ano tá complicado, já não é a primeira vez que me atraso demais no blog. Vamos tentar correr atrás do tempo perdido... e põe perdido, pois estou atrasada nas leituras também! Afe!

Então, escolhi esse livro porque eu já conhecia a autora por conta de "The Duff", que foi um livro para adolescentes que eu não canso de elogiar, e também porque eu precisava ler algo mais leve. Claro que por conta disso eu esperava algo muito bom, e infelizmente "Lying out loud" não é tão bom assim.

Veja bem, dentro do universo de livros para adolescentes e do universo de livros escritos por adolescentes (ou recém saídos da adolescência), "LOL" é excelente. De forma geral, a autora consegue escapar de alguns dos grandes problemas típicos desse tipo de literatura (excesso de drama, enrolação para ficar com o cara, slut-shaming, relacionamentos abusivos sendo retratados como românticos etc), mas não chega a ser um livro tão equilibrado e com uma mensagem tão legal.

O problema de "LOL" é que todo o drama se baseia unicamente no medo da protagonista de dizer a verdade, ou de simplesmente contar as coisas, o que faz sentido quando se trata do garoto que ela está a fim, mas não faz sentido quando se trata da melhor amiga que a trata como se fosse irmã e que ela conhece desde bebê. Tudo bem que a premissa é justamente a protagonista ser "viciada em mentir", mas, gente, para tudo tem limite, senão a coisa desanda e fica exagerada demais, e é nesse momento que o livro ou fica chato ou o leitor perde a sensação de realidade da história.

Tem o problema extra de eu, pessoalmente, abominar enredos que dependam unicamente de mentiras ou falta de comunicação proposital entre os personagens. Pensando bem... Talvez eu tenha escolhido mal o livro.

Mas, o "LOL" tem sua graça. Se passa no mesmo universo de "The Duff", o que significa que diversos personagens fazem aparições especiais, o que é divertido e bastante fofo. Além disso, mantém a mensagem principal da autora, que advoga firmemente pela sororidade feminina e pela autoestima das meninas, o que por si só já é o máximo e o deixa acima da média (mundo triste esse em que nós vivemos, né?) dos livros para o público jovem. Então, continuarei lendo mais da Kody e indicando os seus trabalhos.

Nota 7.

Um comentário:

  1. Já vi o filme, mas nunca li The Duff. Achei o filme legalzinho, e inclusive preciso resenha-lo. Mas ainda bem que li as sua resenha, porque nem vou perder meu tempo com LOL. Detesto personagens caricatos e histórias forçadas, sem realismo. Tô vendo que eu provavelmente não gostaria da protagonista...

    Clara
    @clarabsantos
    clarabeatrizsantos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Deixe sua opinião/crítica/comentário: