Pesquisar este blog

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Fortunately the milk - Felizmente o Leite


    There was only orange juice in the fridge. Nothing else that you could put on cereal, unless you think that ketchup oy mayonneise or picle juice would be nice on your Toastios, which I do not, and neither did my little sister, although she has eaten come pretty weird things in her day, like mushrooms in chocolate.
    "No milk," said my sister.
    "Nope," I said, looking behind the jam in the fridge, just in case. "None at all."

SPOILER FREE

Esse é um dos últimos livros infanto-juvenil do Neil Gaiman, aquele autor britânico que faz tanto sucesso que as pessoas acham que é americano, e cujo excelente livro "American Gods" acabou de virar série de TV.

Neil Gaiman é um autor versátil, escreve para todas as faixas etárias, e passeia por diversos estilos (quadrinhos, contos, romances, palestras), e consegue ir bem em todos eles. Coisa rara e que precisa ser mencionada.

Em "Felizmente o Leite" ele nos apresenta um pai que ficou incumbido de cuidar dos filhos durante uma viagem da mãe, e, claro, ele deixou o leite acabar e agora as crianças querem que ele compre mais para poderem tomar café da manhã. Quando ele retorna, ele tem uma história fantástica para contar aos filhos e justificar o quanto ele demorou fora de casa.

Digamos que essa é a versão Gaiman de uma história de pescador, daquelas cheias de monstros espaciais, piratas, dinossauros e até viagem no tempo, e eu juro que consigo visualizar o Neil contando essa história para os próprios filhos. E para completar, o livro é belissimamente ilustrado.


Não é tão incrível nem tão marcante quanto outras obras do autor, como "Coraline" ou "Graveyard Book", mas é gostoso demais de ler. O tipo de livro que te deixa sorrindo no final.

Ah, e a identidade do estegossauro que está na capa do livro simplesmente me arrebatou. Muito representativo e relevante nos dias de hoje. Neil Gaiman é um dos melhores autores contemporâneos, simples assim. Espero acompanhar suas obras por muitas décadas ainda.

Nota 10.

Hemingway Didn't Say That: The Truth Behind Familiar Quotations







"Good artists copy; great artists steal"
- Pablo Picasso - X
Esse é um livro que comprei por pura curiosidade. Trata-se de um um livro onde o autor investiga a autoria de citações famosas (especialmente na internet) para verificar se a autoria e a citação estão corretas. Vale citar que o autor possui um site onde ele publica suas investigações também, chamado Quote Investigator.

A parte mais interessante está no início do livro, onde Garson explica não só a razão das suas investigações, mas também o que ele descobriu ao longo delas, isto é, como uma citação se altera ao longo do tempo, e como se colocam como seus autores pessoas que muitas vezes não tem nada a ver com o texto "original".

O resultado é um livro que após as análises realmente interessantes, é bastante curioso e cheio de anedotas, mas que não dá para ler por muito tempo seguido por ser um tanto quanto repetitivo. Excelente para ler naqueles intervalos curtos ao longo do dia em que você não quer pegar um romance porque sabe que vai ter que parar no meio.

Se lido em doses homeopáticas é uma excelente leitura, mais do que isso, definitivamente não é para qualquer um.

Nota 8.




A teus pés

vacilo da vocação

Precisaria trabalhar - afundar -
- como você - saudades loucas -
nesta arte - ininterrupta
de pintar -

A poesia não - telegráfica - ocasional -
me deixa sola - solta -
a mercê do impossível -
- do real.


SPOILER FREE

Mais um livro de poesia! E, nossa, esse foi difícil. O comprei porque era de uma autora mulher, brasileira e foi homenageada numa FLIP da vida.

Aí se vê que nada disso é garantia de coisa boa.

Acho que foi o livro de poesia mais chato, insosso e sem razão de existir que já li na minha vida. Na verdade eu nem classificaria boa parte dos textos nesse livro de poesia.

Ana Cristina escreve em fluxo de pensamento, e ela não é exatamente uma pessoa que segue um fluxo que faça sentido. Tudo bem, é arte, não precisa fazer exatamente um sentido nem ter um objetivo. Mas num texto um mínimo de coerência é necessário para se conseguir que o leitor sinta alguma coisa, senão não se sente nada, não se percebe nada e o que a autora diz realmente é nada.

Detestei tanto que nem sei mais o que dizer. Um horror.

Nota 2 (porque eu curti o poema que coloquei lá em cima, é o único que sobreviveu)

The Tiny Book of Tiny Stories: Volume 2



SPOILER FREE

Esse é um livro que me foi sugerido por um site meio filosófico, que nem sempre tenho tempo de ler, infelizmente, chamado Brain Pickings. E apesar do nome do autor dizer um ator famoso, mas lá com os seus problemas artísticos, o livro na verdade é de um coletivo de artistas, esse sim "organizado" pelo tal ator.

E apesar da capa com jeito de livro infantil, o conteúdo é puramente artístico, composto de imagens com uma ou duas frases agregadas que trazem reflexões, contam histórias ou só são bonitas de ver.


É o tipo de livro leve, rápido e sensível que pode ser apreciado por qualquer pessoa de qualquer idade. E foi mais interessante do que eu imaginava que seria, mais gostoso e mais leve. Em outras palavras, uma agradável surpresa. Ainda bem que sigo as recomendações desse site, realmente valem a pena. (e fica dica)

Infelizmente comecei pelo volume dois porque o volume um ainda não existe para kindle. Mas pelo menos eu já tenho o volume três para aquele momento em que eu precisar de uma injeção de ânimo e beleza.

A versão eletrônica é melhor apreciada em tablet (ou pelo menos um celular com uma tela legal), e vale a pena conferir o tamanho das páginas no aplicativo para melhor observar os desenhos e as palavras, mas para quem curte um livro de papel, sugiro fortemente as versões físicas, que possuem uma capa dura lindíssima.

Nota 9,5.

sábado, 22 de abril de 2017

Paroles

LE CANCRE

Il dit non avec la tête
mais il dit oui avec le coeur
il dit oui à ce qu'il aime
il dit non au professeur
il est debout
on le questionne
et tous les problèmes sont posés
soudain le fou rire le prend
et il efface tout
les chiffres et les mots
les dates e les noms
les phrases et les pièges
et malgré les menaces du maître
sous les huées des enfants prodiges
avec des craies de toutes les couleurs
sur le table noir du malheur
il dessine le visage du bonheur
 
SPOILER FREE

Esse é um autor que me lembra as aulas de francês na Aliança Francesa, e que aprendi a apreciar na biblioteca que tinha na Aliança que eu frequentava. Bons tempos!

Sou fanzoca do Jacques Prévert, com seu humor tão francês e sua crítica pesada à igreja e às maldades do ser humano. Gosto de boa parte do que ele escreve, o que me torna uma leitora enviesada. E gosto especialmente dos seus textos sobre as guerras, visto que ele vivenciou as duas grandes guerras do século XX.

Nas aulas de francês, inclusive nas escolas francesas, ele é muito estudado por sua poesia, mas ele também era roteirista e fazia alguns trabalhos plásticos, e foi muito importante para o cinema francês, e parte de suas poesias também foi musicada, a mais famosa é "Les feuilles mortes".

Para quem não fala francês, tem um livro dele bilíngue que eu gosto muito, chamado "Poemas", que tem uma bela seleção de 43 poemas dele. Super indico.

Para quem fala francês, Paroles é uma obra sensacional, com textos que variam muito de estilo e de temas, bem a cara de Jacques, é um dos seus livros mais importantes e representativos. Vale muito a leitura.

Nota 10!

Teus pés toco na sombra - poemas inéditos

5
Por el cielo me acerco
al rayo rojo de tu cabellera.
De tierra y trigo soy y al acercarme
tu fuego se prepara
dentro de mí y enciende
las piedras y la harina.
Por eso crece y sube
mi corazón haciéndose
pan para que tu boca lo devore,
y mi sangre es el vino que te aguarda.
Tú y yo somos la tierra con sus frutos.
Pan, fuego, sangre y vino
es el terrestre amor que nos abrasa.
 
SPOILER FREE

Um dos poetas mais influentes e importantes do século XX, Neruda! E esse foi o meu primeiro livro dele. Adianto que isso aconteceu em parte porque ando procurando ler poesias no original quando posso compreender o idioma, e o espanhol, apesar de não ser o meu forte, ainda dá pra brincar de ler. E não sei o que acontece, mas não é tão fácil encontrar Neruda nas livrarias. Será que está fora de moda?

Enfim, encontrei esse livro já não me lembro mais aonde, e apesar de ser composto apenas de poemas inéditos, descobertos, selecionados e publicados no século XXI, estava numa bela edição bilíngue (oba!) com direito a fac-símiles no final, com os cardápios, pedaços de papel, etc onde os textos foram encontrados.

Dito isso, é importante ressaltar que parte dos textos inclusive está inacabado, e alguns chegaram a ser rabiscados pelo autor, e, claro, é provável que ele nunca tenha nem pensado em publicar diversos deles, o que deixa o livro bastante inconstante e comparado ao trabalho publicado certamente deixa a desejar.

Mas Neruda é Neruda, e eu gostei demais de muita coisa que tem no livro, o que mostra o quão genial ele é. Se o que ele deixou largado em pedaços de papel é assim, imagina o que ele trabalhou em cima e publicou?

Já estou com outro livro dele na estante me aguardando (outra edição bilíngue, como é difícil de achar!), e talvez eu consiga lê-lo ainda esse ano, vamos ver. Tenho certeza que também vai valer a pena.

Nota 8,5.

Poemas da Antologia Grega ou Palatina

SAFO
VII:489

Eis as cinzas de Timas: morta pouco antes de casar-se,
          Perséfone a acolheu em seu quarto sombrio.
Assim que ela morreu, as amigas, tão jovens quanto ela,
          cortaram-se os cabelos com ferro afiado.
 
SPOILER FREE

Então, continuo firme e forte no projeto de ler um poema por dia. É um hábito muito revigorante para a mente! E tenho feito isso num sistema de rodízio de livros, alternando autores, estilos e a língua em que está escrito o texto.

Esse livro eu encontrei na Livraria Cultura no Centro do Rio, e a primeira vista fiquei absolutamente encantada com a edição bilíngue! Daí quando comecei a ler passei a ver que o livro não era exatamente o que eu imaginava, pois muitas das poesias apresentadas na verdade são trechos de obras maiores, e o lance é que são pedaços de um compêndio feito há alguns séculos por um fã de poesia grega onde ele colecionou diversos pedaços de poesia classificando por temas e épocas.

A leitura é interessante, e estudiosos de literatura devem se interessar muito por essa obra, mas para o leitor "comum" é um tanto quanto estranho. Além disso, a edição fez uma escolha pouco prática de incluir todas as notas sobre os autores e obras apresentadas no final, sem nenhum tipo de conexão com o texto, não tem número para levar às notas, e as notas não indicam à qual página se referem, o que dificulta muito o seu uso. E como eu fui lendo no esquema conta-gotas, confesso que só realmente vi que haviam notas quando terminei de ler tudo, e, claro, as notas já não serviram de nada. O que achei uma pena, pois são muito ricas e poderiam ter tornado a leitura muito mais interessante.

Fica a dica das notas para quem quiser se aventurar nesse livro!

Nota 7.