Pesquisar este blog

domingo, 27 de maio de 2018

Jock Row (Jock Hard #1)



SPOILER FREE

Como os leitores assíduos do meu blog devem ter reparado, eu curto ler literatura erótica de vez em quando. É ótima para esvaziar a cabeça de problemas.

Eu nem sei explicar exatamente como esbarrei com esse livro na Amazon, mas estava baratinho e eu não resisti e comprei. Olhem a capa, gente, é uma excelente propaganda! Anedota: fui mostrar a capa para o meu marido, que se dobrou de rir e ainda fez sugestões de atores gatos para imaginar ao longo da leitura. Eu amo o meu marido.

Enfim, o livro entrega exatamente o que promete: uma história romântica cheia de cenas de sexo. Dessa forma, não posso dizer que me decepcionei, de jeito nenhum. Além de que ele não é mal escrito, o que o torna muito melhor do que "50 tons de cinza", por exemplo. (Pretendo sacanear essa série até o fim da vida, não é a toa que as resenhas dessa "trilogia" estão entre as mais visitadas do blog!)

Para mim, a única questão é o clichê. Para que fazer mais uma história sobre uma menina virgem? Sério? O livro não é voltado para adolescentes para justificar isso.

No frigir dos ovos (olha a piada pronta!), o problema está no tipo de clichê: atleta gostoso = excelente clichê; menina virgem = clichê datado.

Com relação especificamente ao atleta gostoso, Rowdy Wade (podem rir alto) é interessante e charmoso, e ele merecia um final mais original. Afinal, ele é ou não é um atleta diferente dos outros? Aff.

A originalidade no livro na verdade é a falta de drama. Normalmente esses livros são cheios de drama que servem de pano de fundo para um sexo mais selvagem, e isso não existe aqui. O que é bom no sentido de ser diferente, mas é ruim porque basicamente não tem história. Mas pra que história? Ok, tá perdoado.

Nota 9.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe sua opinião/crítica/comentário: